Cobranças da ~vida de adulto~

by - sexta-feira, maio 27, 2016


Quando a gente é criança ou adolescente acha que a vida de adulto é só lazer. Você supostamente pode fazer o que quiser, vai ter seu próprio dinheiro, sua vida vai ser badaladíssima ao seu modo, mas vai ser... Doces ilusões né, migos? Assim, sem querer chata, mas cadê essa vida de glamourosa, de rainha do funk que não tá acontecendo?

As prioridades mudam um pouco quando você começa a assumir algumas responsabilidades na vida. Acho que uma das primeiras dores de ser adulto que a gente tem se chama conta, ou no caso desse mundo capitalista, contas. É triste ter que escolher entre pagar as faturas ou sair. Dói na alma. Dói no estômago, principalmente quando você pensa que poderia utilizar o dinheiro pra fazer aquela(s) orgia(s) gastronômica(s) com os amigos. Mas é como diz aquele velho provérbio indiano: VAMO FAZÊ O QUÊ?

Ser adulto por si só traz toda uma carga pesada de cobranças sociais. Rolam muitos "você tem que". Tem que ter aquele emprego numa grande empresa, tem que ter isso, tem que ter aquilo outro. Às vezes é difícil de segurar essa barra da adultice. Principalmente quando você já passou dos 20 anos e ainda não está com a vida que queria ter ou que acha que deveria ter.

Uma coisa que veio pra matar, roubar e destruir a mente dos jovens adultos é a tal da comparação. Seja ela feita por alguém próximo ou aquela que nós mesmos fazemos quando stalkeamos aquele amigo do colégio ou da faculdade que vive viajando e comendo nos restaurantes mais legais. Quem nunca pensou "nossa, fulana(o) é da minha idade e já TEM isso tudo?". Um verbo que estou tentando ampliar o significado é o TER. Muitas vezes valorizamos mais o que o outro tem do que o que nós temos. Bora começar a adequar a vontade de TER à nossa vida e às nossas perspectivas? Esse tal TER não deve se limitar só as posses da vida material.

Então, aquela pessoa feliz e aparentemente "rica" do seu instagram pode não ser tão feliz assim. Já parou pra pensar nisso? Ninguém quer mostrar que tá imprensado dentro do trem de 08:00 né? Esse lance da eterna felicidade que as pessoas expõem nas redes sociais da vida não deve nos afetar. Sei que é difícil, porque muitas vezes fico lastimosa porque queria estar naquele mochilão lindo pela América do Sul que vi alguém compartilhando no feicetruque, mas na verdade estou em casa tomando Nescau. Sonhe, sonhe alto, estabeleça suas metas pra alcançar seus objetivos, mas NUNCA fique refém das comparações. Cada pessoa tem sua vida, sua história e elas podem até servir de referência e inspiração, mas tem que ser só isso.

Outra coisa chata das cobranças adultescas externas à você, ou até internas, é a da idade. "Olha moça, tem que casar no máximo até os 30 tá? Pra chegar nos 35 com pelo menos um filho", "Com 22 anos você já tem que ter terminado a faculdade. No mínimo!". A lista de limites de idade que querem impor pra nós reles mortais vai longe. Eu tenho aprendido de forma ou de outra que esse lance de ter 20, 22, 25, 34, é só o número de anos que você está aqui na Terra. Quem disse que existe idade pra se chegar no ápice da felicidade ou da carreira? Isso é mais uma construção social que deve dar tchau estilo despedida do Teletubbies. Nunca é muito tarde ou muito cedo pra ser, fazer ou sonhar o que quiser.

Pra finalizar, eu resumiria toda a vida adulta em uma palavra: COBRANÇAS. Sejam elas da família, amigos, pessoas que a gente nem conhecem, no trabalho ou aquelas de cartão de crédito mesmo. Somos cobrados demais, nos cobramos demais, e tudo em demasia faz mal e cansa. É muito difícil lidar com a galera nos cobrando por todos os lados, mas precisamos ser mais firmes na vida. Ser adulto hoje em dia é ter o psicológico meio frágil por causa de todas essas tretas. Mas se nós não nos fortalecermos de alguma forma a coisa sai do controle.

Vamos nos cobrar menos e absorver só o que for construtivo pra nossa vida. Ser adulto também tem suas delícias. Não é só treva. A gente vai ganhando mais experiência, aprende a lidar com determinadas situações, pessoas e aí o baile vai seguindo. Independente de qualquer coisa, viver já é uma coisa linda por mais barreiras que tenhamos que enfrentar ao longo do caminho.

Beijos

2 comentários

  1. Uma coisa que eu aprendi na vida adulta: a fazer do meu jeito, sem sentir culpa por isso. As pessoas pressionam o tempo todo para que sejamos o que elas querem - mas, né, estamos ocupadas demais sendo o que somos.

    Depois que percebi que não precisava dar satisfações, me importar e nem me sentir culpada por ser quem eu sou, foi libertador. E viva os sonhos malucos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Maly, que comentário maravilhoso e inspirador!
      Sei nem o que falar, só sentir <33333
      Viva os sonhos malucos!

      Beijos

      Excluir